Ando meio alarmada…

Eu moro num bairro meio fronteiriço da minha cidade, que mistura casas de padrão médio/alto e barraquinhos de quase favela e favela mesmo. Sim, isso também existe no interior… Talvez por isso, todo mundo que tem uma casinha mais arrumadinha cisma logo de comprar um daqueles alarmes sonoros contra roubo. Resultado: sempre tem algum disparando, sem que ninguém tome qualquer providência!
Já tivemos um fim de semana inteiro ouvindo os apitos intermináveis de um deles. Provavelmente era num estabelecimento comercial aqui da vizinhança, e o feliz proprietário só descobriu que infernizou a vida do bairro na segunda-feira de manhã, quando voltou para abrir a lojinha.
Vasculhando o Google, tentei achar alguma legislação sobre esse tipo de ocorrência e não encontrei quase nada. A única referência a uma tentativa de regulamentação que eu encontrei foi no blog de um vereador da cidade de Americana, Jonas Santa Rosa, propondo que todos os imóveis com alarmes sonoros tivessem um número de telefone visível para que fosse possível comunicar o acionamento. Descobri depois que o projeto dele foi rejeitado pela câmara de lá, que ficou com medo da exposição pública do número de telefone do proprietário do imóvel com alarme! Infernizar a vida da vizinhança é permitido, ter o seu telefone divulgado é proibido… Ora ora…
Outra coisa muito chata é o alarme de carros e motos – sim, elas também já têm seu alarme – que toca muitas vezes durante horas a fio, sem que o proprietário se dê conta do acionamento justificado ou acidental.
Meu amigo Fábio publicou uma nota no Facebook contando seus dissabores com esses alarmes:

“Para quem tem a felicidade e o privilégio de não conhecer, Car System é um alarme que pode ser instalado em carros e motos e que, ao leve toque em qualquer parte do veículo, dispara um alarme ininterrupto que combina uma sirene ensurdecedoramente irritante combinada com um aviso eletrônico que diz “este veículo está sendo roubado, ligue para o número bla bla bla…”. Moro na região central da cidade de São Paulo e posso garantir que grande parte dos motoboys possuem este alarme. Há vezes em que este alarme é disparado O DIA TODO pois, quando um deles é desligado, outro é acionado devido ao grande número de motos. Já liguei diversas vezes para o número anunciado no alarme, mas a burocracia é ainda mais angustiante: eles pedem a placa do veículo, local exato em que ele está (inclusive a altura do número da rua em que ele está) para, só então, mandar um funcionário da Car System para o local que aí acionará o proprietário. Para completar, este funcionário não pode desligar o alarme, ação que só pode ser tomada pelo dono do veículo. Qual a eficiência real deste sistema contra furtos? Praticamente nenhuma, a meu ver. Deveria haver uma lei que proibisse este tipo de alarme, pois é deveras incômodo. Se já existe tal lei, deveria ser rigorosamente aplicada.”

Em resumo, vivemos num mundo sem lei, em que a suposta proteção da propriedade privada móvel ou imóvel de alguém está acima de qualquer regulamentação, ainda que precária, sobre poluição sonora.
Meu palpite é o de que, se houvesse leis que de fato cuidassem da poluição sonora, nem seria necessário haver uma legislação específica sobre alarmes. Uma bela multa pra quem deixa um alarme tocar durante mais de, por exemplo, 30 minutos, seria suficiente para fazer com que as pessoas pensassem duas vezes na hora de instalar um alarme e, caso o fizessem, lembrassem de que é preciso uma manutenção do sistema que reduza o risco de acionamentos acidentais.
E a gente dormiria melhor, sem dúvida!

PS – Andei afastada do blog por problemas de saúde, mas acho que de agora em diante já estarei de volta ao ritmo normal!

  5 comments

  1. Clau Ricci   •  

    Oba!!! De volta ao blog!!!
    Por aqui também sofro bastante com os alarmes, principalmente de estabelecimentos comerciais. Quando um dispara, só é desligado no dia seguinte. Acho engraçado também esses alarmes “car system”. Você já viu alguém ligar para a polícia ao ouvir um desses alarmes? Eu só ligaria para reclamar do barulho!
    Bjs.

  2. shandy   •  

    Caramba……isso é mesmo insuportável!!! O dono do estabelecimento podia ao menos ter deixado o telefone dele com algum vizinho né!!

    bjss

  3. Márcia   •  

    Ana, como você o uso desabusado de alarmes também me alarmam…Porém, ultimamente tenho sido vítima da poluição sonora bucal.Então, ontem mesmo me veio à mente a criação de um novo sistema de proteção auricular: o “Auditive protection Eustakio’s”. Esse detector auricular permaneceria em constante vigilância e, ao captar a poluição sonora bucal (a borracha alheia), seria acionado um moderno protetor timpânico, propiciando ao torturado o efeito da surdez súbita e temporária. Não seria reconfortante? Teria até regulagem, formatos e cores variadas. O que acha? Beijinhos.

  4. Anonymous   •  

    Este alarme da car system, dispara o tempo todo aqui na berrini.. Nao aguento mais..

  5. Fernando   •  

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *