Casa 2: Amparo (minha casa)

Nós nos mudamos de Amparo quando eu tinha pouco mais de 4 anos, mas mesmo assim eu tenho algumas lembranças tênues daquela época.

A casa onde morávamos era próxima à da minha avó, no bairro do Ribeirão. É em frente a ela que estou com meu pai, na foto que abriu esta série.

Algumas poucas memórias: brincar na praça com a minha pajem (era assim que se chamavam então as babás) Vera e meu amigo Tete, que morreria afogado pouco depois no ribeirão que dava nome ao bairro. Lembro-me também de ver meu pai ouvindo os jogos da Copa de 62 no rádio.

Mas o mais incrível de tudo é que me lembro de uma coisa que certamente não aconteceu…

Foi assim: estavam em casa muitos tios e tias, conversando na sala. Eu estava usando meu vestido vermelho de bolinhas brancas. Eu sempre me sentia uma boa menina quando usava esse vestido…

Não sei como decidi ir sozinha ao banheiro, sem pedir a ajuda de minha mãe. Como era muito pequena, fiquei presa no vaso, sem alcançar os pés no chão para poder sair. Na minha lembrança, quem me tirou dali foi meu avô materno, Luiz.

O problema é que esse meu avô morreu dois dias depois que nasci, portanto ele não poderia ter me salvado. Mesmo assim, me lembro da cena.

Minhas lembranças mais nítidas, entretanto, são da casa de minha avó materna, sobre a qual falarei no próximo post.

000007aPSred

(Com meu pai e minha mãe, na casa de Amparo)

  2 comments

  1. chico moreira guedes   •  

    Cada foto mais bonita que a outra. Que charme, o casal! E vc nem se fala…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *