Ela e eu (3)

Foram muitos shows, desde aquele primeiro “Imitação da vida”. Numa contagem que fizemos aqui, foram quase 30, até o presente momento. Houve até um show em Buenos Aires, no Teatro Gran Rex, uma experiência única. Lembro-me de, ao final, ouvir de um argentino que tínhamos a melhor cantora do mundo em nosso país! Ah, e Caetano Veloso estava na plateia, bem pertinho de nós…

No “Brasileirinho”, em 2004, comecei a fotografar durante o espetáculo. Lembro que fiz ali uma foto de que gosto muito, embora a câmera que usei não fosse das melhores:

Apesar da pouca qualidade da imagem, a foto fez sucesso na comunidade Maria Bethânia no extinto Orkut. Lá, fiz amizade com vários fãs da cantora e assim começamos a frequentar os shows em grupo. No final, sempre esperávamos pra ver se conseguíamos algum acesso ao camarim, para poder ver de perto nossa diva. Em 2005, pela primeira vez, consegui. Foi numa das vezes em que assistimos ao “Tempo, tempo, tempo, tempo”, em São Paulo. Emocionante! Olha a minha cara de alegria:

Numa das últimas vezes em que estivemos no camarim, ela estava muito feliz. Foi em Recife, em dezembro de 2015, num dos shows do Prêmio da Música Brasileira. Foi uma noite linda, com Naná Vasconcelos na plateia e, no palco, muita gente boa, como Zélia Duncan, Chico César, Lenine e muito mais. Olha a nossa alegria:

Em todos esses shows, sempre tirei muitas fotos, para meu próprio deleite. Em casa, organizava as fotos melhores em álbuns, que publicava nas redes sociais, para mostrar para meus companheiros admiradores de Bethânia.

Gosto de muitas fotos que fiz, mas nunca poderia imaginar o que aconteceu nestes anos de 2015 e 2016. Conto nos próximos posts.

 

  2 comments

  1. Claudio   •  

    Não demora e vocês vão cozinhar juntas…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *