Elas e eu

Sei que pode parecer que eu havia abandonado o blog, mas não é verdade. Foram umas férias longas, durante as quais aconteceu o rompimento de uma relação que eu mantive por quase quarenta anos. Vou contar.

Tudo começou em 1977, quando eu decidi que iria prestar o vestibular para estudar na Unicamp. Ingressei no ano seguinte, no curso de Linguística. No final do primeiro ano, foi criado o curso de graduação em Letras. Aos alunos que haviam ingressado naquele momento, era possível escolher entre manter-se em Linguística ou mudar para Letras, que foi o que eu fiz. Assim, integrei a primeira turma de Letras da Unicamp, que se formou em 1981.

Ainda antes de terminar a graduação, prestei a seleção do mestrado em Teoria Literária e passei. Foram mais seis anos de vínculo com a Unicamp. Bons tempos aqueles em que a gente podia passar tanto tempo para cursar as disciplinas e redigir a dissertação!

Defendi o mestrado em fevereiro de 1988. Começou então um período de mais ou menos um ano e meio longe das universidades públicas. Eu trabalhava em faculdades particulares e, embora inicialmente não pensasse em fazer doutorado, logo vi que precisaria desse outro título, se quisesse continuar na carreira.

Foi assim que, em agosto de 1989 entrei no doutorado em Letras da FFLCH-USP, na área de Literatura Portuguesa. Alguns anos depois, com a abertura da área de Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa, acabei me transferindo para lá. Defendi minha tese de doutorado em abril de 1995.

Antes disso, em 1991, eu já tinha prestado concurso e sido aprovada para assumir uma das cadeiras de Literatura Portuguesa do curso de Letras da Unesp, em Assis. Ingressei em setembro daquele mesmo ano e ali trabalhei até 29 de setembro passado: foram 24 anos de andanças por aqueles corredores da Faculdade de Ciências e Letras de Assis.

Sou muito grata por ter passado pelas três, Unicamp, USP e Unesp. Elas me deram régua e compasso (embora eu seja de Humanas…) e me ajudaram muito a ser a pessoa que sou hoje.

Agora começo uma nova fase da vida: pela primeira vez, em décadas, não tenho vínculo ativo com uma universidade pública paulista, mas de alguma maneira levo um pouco de cada uma delas comigo. E espero ter deixado um pouco de mim nas três.

 3paulistasb

  3 comments

  1. Carmem   •  

    Bela carreira! Mas agora é só alegria, né? ❤️

  2. Heloisa   •  

    Tao legal olhar pra tras e ter esses vinculos pra contar e lembrar!

    • psiulandia   •     Author

      Ainda bem que são lembranças boas, né, Helô?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *