Psiu!

Eu sempre imaginei que um dia, quando começasse a envelhecer, perderia aos poucos a audição e os sons do mundo não fariam muito sentido para mim. Pois bem, a velhice começa a chegar e parece que minha audição só fica mais aguçada e sensível a cada dia que passa!
O mundo anda muito barulhento pra mim, e eu gostaria muito que houvesse alguma movimentação (que no Brasil, pelo menos, não creio que haja) em favor do silêncio, contra a poluição sonora a que todos estamos o tempo todo expostos.
Para dar a minha contribuição, criei este blog. Descanse, caro leitor, aqui você não ouvirá músicas enquanto navega, a não ser que o player do seu computador já estivesse funcionando antes mesmo de você começar a ler estas linhas.

  3 comments

  1. Serenata   •  

    Oi Ana concordo com você em todos os atos e desatos, eu moro na california, e olha que em comparação com outros lugares nos e.u.a. este é um dos mais barulhentos, os americanos falam muito alto, mesmo!!! especialmente quando se veem inseguros de terem que falar com alguém que tenha um sotaque diferente do deles, então aqui no U>S> eu ja tive e as vezes tenho que falar pra eles/elas que não precisam gritar porque eu não sou surda, e eles pedem desculpas mas na proxima frase voltam a falar alto, e ai eu peço desculpas e me retiro do recinto, pois não aturo esse tipo de desrespeito. Quando vou ao Brasil eu fico atorduada com tanta poluição sonora, buzinas, gritos de quem vai querer!!! leva! leva!! olha aqui oh , só na minha mão!!! além do mais as vezes me parece que todos falam ao mesmo tempo!!! Ninguem merece!!!Fazem as perguntas e não esperam pela resposta…ou então alguém ja começa outra estoria e por aí vai… agora que já tô meio bamba na estrada, eu fico na minha, observando o sangue que chega a ferver nas faces de algumas pessoas…é incrivel!!! E como vc falou os carros fazem barulhos, as motos, os caminhoes de diesel ah que desgosto…e também concordo que deveria haver uma legislação que pudesse ser feita em defesa dos ouvidos das pessoas, já que nao podemos andar com as orelhas tapadas, acredito que de repente voce deveria começar esse trabalho, e se conseguirmos mais pessoas com o mesmo proposito, quem sabe pudessemos exigir e estipular certos horarios pra isso ou aquilo e somente em certos lugares, exceto sabado e domingo, onde tudo seria desligado, tambem falo da regularização dos carros, caminhoes e motos, todos teriam que passar por uma vistoria e de acordo com os termos da lei sonora, passariam ou não nos testes(sem corrupção),de poluição sonora…bem vou parar por aqui…pois não to me candidatando, realmente eu só queria vir e concordar com tudo o que vc falou…mas virou um livro…sorry!!! Adália

  2. Cassia   •  

    Ana, e lastismavel esta caracteristica do povo brasileiro. Sofri muito com as campanhas politicas no parana. So foi pior em Israel por que la as pessoas morrem. Leonardo, meu filho, ja estava se divertindo com os rojoes a cada 5 minutos, todos os dias, durante o dia inteiro. Ele falava “mamae bullllllll”(ele realmente tem senso de humor) mas cheguei a ligar na delegacia e nada.

    Me considero no paraiso sonoro aqui no UK. Pessoas educadissimas, pubs, bares, ruas,
    ruido so da ambulancia, o que e perdoavel, aqui voce pode levar um bebe para o pub sem problemas, nao tem cigarro nem barulho!!! Cansei de ver bebes dormindo como anjinhos enquanto os pais vao a um jantar ou um simples drink.

    Um dia o Brasil chega la.

    Abraco.

    Cassia

  3. Mário   •  

    Nossa, Ana, é isso mesmo… não agüento mais a barulhada. Não entendo qual o prazer de se ouvir uma música boa ou ruim nessas alturas, isso sem falar das buzinas, das freadas, dos rojões e das gritarias. Não entendo como tanto vazio interior produz tanto barulho! Para mim, isso é um desafio para a física! Eu fujo junto com os bandos de passarinhos assustados, para nunca mais voltar. Se quiser um aliado contra a poluição sonora, terá em mim seu fiel Sancho Pança.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *