Sinfonia de pardais eletrônicos na madrugada.

Sim, mais uma vez passei a noite a bordo de um ônibus, vindo para São Paulo, numa viagem de quase 450 quilômetros. Trabalhei muito o dia todo e uma sexta-feira agitada me esperava na capital. Precisava dormir bem, portanto.
Depois dos quilômetros iniciais, em que a euforia sempre leva alguns a conversar com o passageiro mais próximo ou com alguém num celular, aos poucos todos foram se aquietando e começando a dormir. Ou quase todos, pelo menos.
Depois de 3 horas de viagem, a primeira parada chegou. Eu dormia profundamente e assim continuei, ou, pelo menos, tentei continuar, mesmo em meio à agitação do sobe e desce de gente do ônibus, cheiro de coxinha a bordo, saquinhos plásticos rangendo etc. Mas sobre isso acho que já falei em outro post em que comentava viagens noturnas em ônibus, e neste eu quero falar de outra coisa.
Depois da parada, consegui pegar no sono de novo. Quando faltava mais ou menos uma hora para chegar em São Paulo, comecei a ouvir um barulhinho assim:
Era repetido a intervalos irregulares, o que acabou me tirando do pesado sono em que estava. Demorei um pouco mas reconheci o sinal de troca de mensagens pelo programa de comunicação Fring, que reúne coisas como MSN, Skype e Twitter no celular.
Ou seja, alguém estava batendo papo com alguém, às 5 da manhã, dentro do ônibus. Sem problema, cada um escolhe o que quer fazer nesse horário. A questão é que, a cada mensagem que transitava entre os conversadores matinais, um grilo eletrônico daqueles levava pra mais longe a minha possibilidade de dormir mais um pouco até a chegada.
Fiz o famoso “Psiu!”, mas não adiantou. Pedi para tirarem o som do celular, mas nada. O grilo do celular continuava ativíssimo!
Finalmente desisti de dormir, ao ver que, conforme chegávamos mais perto de São Paulo, a orquestra de celulares ganhava novos instrumentos: campainhas, disco music, rock’n roll, óperas, enfim, toda a vasta gama de opções de tons de celulares começou a soar e as conversas se multiplicavam: “Não, ainda estou na estrada!” “Daqui a uma meia hora estou chegando!” “Estamos entrando na marginal, benhê!”
Fiquei pensando que no mundo dos meus sonhos ninguém poderia sair da loja portando um celular sem um cursinho prévio de como colocá-lo no modo silencioso. Tipo um porte de arma, sabe como é? Ou carteira de habilitação, antes de sair dirigindo um carro por aí.
Enfim, mais uma experiência com a incomensurável capacidade humana de não se dar conta de que ninguém está sozinho no mundo…
OBS. – O título do post presta uma homenagem a um colega de trabalho que achava a expressão “Sinfonia de pardais”, da canção “Ave-Maria no morro”, de Herivelto Martins, a mais idiota da MPB (se alguém quiser ouvir, aqui tem com a Dalva de Oliveira: Ave-Maria no morro). O argumento dele era que não podia haver uma sinfonia de pardais já que eles não cantam, apenas ficam piando aqui e ali e proliferando pelas ruas. Como celulares, aliás.

  5 comments

  1. Monica   •  

    Vc não acha que deveria haver uma advertência nos ônibus qto ao uso de celulares? Tipo assim.. qdo entrarem , por favor coloquem seus celulares no vibra ou no modo silencioso? Bjs

  2. Janaína Leslão   •  

    Me diverti horrores com esse seu relato! Inclusive, em uma ocasião destas, se você (ou eu) matasse @ don@ do celular, acho que dava até pra solicitar diminuição da pena… Ou uma pena alternativa, afinal, isso tira qualquer um do eixo! Nada mais insuportável que gente que acha vive sozinho no mundo!

  3. Ana   •  

    Moniquinha, será que ia adiantar? A solução proposta pela Janaína, logo depois de você, é mais radical porém certamente mais eficiente! KKKKK

  4. Monica   •  

    Radical demais a sugestão da Janaina… acho melhor ir por partes.. como o esquartejador rs.. Acredito que se escrever uma carta ao representante das empresas de onibus interestaduais, pode resolver o problema. Quem sabe não poderá se tornar lei? Bjs

  5. Janaína Leslão   •  

    Pessoas,
    na verdade, penso que o som do celular entra na categoria da lei que já existe de não viajar com radios e outros aparelhos de som ligados! Mas como essa lei provavelmente é anterior a criação/popularização do celular, penso que seria eficaz uma carta pra um/uma parlamentar que topasse propor uma emenda na lei já existente e vinculada a uma posterior divulvação junto as empresas e usuários!
    o que stou dizendo é sério! Vcs conhecem alguém? sabem se essa lei é estadual ou federal? Dever ser federal devido a ANTT (agencia nacional de transporte terrestres – ou coisa assim)
    mesmo sendo uma proposta a serio, essa coisa de lei demora, então até lá, continuo com minha proposta anterior! hehe! Podemos fazer por pedacinhos Mônica! Acho que fica até mais divertido!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *