Uma praga útil chamada celular – parte I

É o tipo de coisa que, na hora do sufoco, a gente sempre fica feliz em ter. Mas quando é a pessoa do lado que tem, quase sempre é um inferno!
Vamos começar pelos toques: pelos meus cálculos, 78,35% das pessoas que usam celular não sabem como habilitar o modo vibratório!!!
Brincadeiras à parte, acho que todos nós já tivemos muitas experiências de ver tocar um celular nas horas mais inconvenientes! Puxa, isso já virou até lugar-comum, mas as pessoas continuam deixando os bichinhos no modo sonoro no cinema, no velório, no teatro, no show, na missa… A lista é interminável, assim como parece ser interminável a lista das possibilidades de ser mal-educado!
De minha parte, acho que o ideal seria a gente deixar o celular com som só quando a gente está sozinho em casa e geralmente está longe dele. Em qualquer outra situação social, é bom deixar o dito cujo no modo vibratório, como uma forma de demonstrar respeito por quem está ao seu lado. Se acontecer de, por causa disso, alguém perder uma ligação, não vai ser o fim do mundo, acredite! Pra isso existe o identificador de chamadas: é só olhar e chamar de volta!
Costumo viajar muito à noite, de ônibus, e pasmem: sempre tem um celular tocando no meio da madrugada! Devem ser os notívagos de plantão, sem problema, mas é preciso lembrar que as outras pessoas à sua volta estão dormindo! Até mesmo um som de teclado muito alto, no silêncio da noite, pode ser um porre! Aliás, pra que a gente precisa ouvir cada número digitado? Desligar o som do teclado também é uma opção de configuração que demonstra boa educação!
Outra coisa interessante é observar o que a disponibilidade tão variada de toques fez com as pessoas. Por exemplo: você está num grupo de pessoas que inclui um senhor muito circunspecto, de terno e gravata, conversando sério, digamos, sobre a crise mundial. De repente começa a tocar algo como uma versão retumbante de algum hit da Madonna. E quem é que pega o celular pra atender senão aquele senhor circunspecto, agora completamente envergonhado?
Se é pra usar toque sonoro, meu critério é: qual toque não me deixaria embaraçada na frente, por exemplo, da pessoa mais séria e conservadora que eu conheço? É esse que eu escolho.
Quanto ao comportamento das pessoas ao telefone, aguardem a parte II, que eu posto outro dia!

  2 comments

  1. Clau Ricci   •  

    Acho engraçado ver as pessoas gritando ao celular, por mais modernos e sensíveis que sejam os seus “bichinhos”.

  2. Anonymous   •  

    Oi Ana
    Também não suporto os celulares.
    As pessoas os carregam até quando vão ao banheiro…
    O mais engraçado são aqueles que não contentes em falar ao celular, ainda os colocam em viva voz, é demais, não é mesmo?
    Sônia Gatto

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *